sábado, 17 de maio de 2014

Top de Abril de 2014


Três documentários estreados em sala comercial em Portugal ocupam o top 10 de Abril, com dois deles nos lugares cimeiros. Casos de O Acto de Matar (com nota média de 8,42) e A Imagem Que Falta (com 8,33) que, além de terem também entrada directa no top 10 do ano, surgem também entre os documentários com melhor classificação de sempre, durante todo o período de actividade do CCOP (apenas atrás de Histórias Que Contamos). O vencedor do Óscar de Melhor Documentário, A Dois Passos do Estrelato, ocupa a sexta melhor posição do mês, com nota de 7,20.

O pódio mensal é completado com Grand Budapest Hotel (8,13). De notar que o anterior filme de Wes Anderson, Moonrise Kingdom, foi classificado com a nota média de 8,57 e vencedor de cinco prémios CCOP 2013, incluindo Melhor Filme.

Já o português Pecado Fatal, de Luís Diogo consta como o menos preferido entre os membros do CCOP. Apesar de ter recebido a nota de 4,60 em 10, o filme foi ainda o mais controverso do mês, com uma diferença de sete pontos entre duas das notas atribuídas.

Ainda como notas comparativas: François Ozon tem em Jovem e Bela o seu segundo filme classificado pelo CCOP. O seu último filme recebeu apenas vinte e quatro centésimas a menos que Dentro de Casa, estreado em Portugal durante 2013. Já no plano das sequelas, O Fantástico Homem-Aranha 2 foi classificado com a nota de 5,56. O filme original recebeu 6,75.

Top de Abril de 2014
  1.  O Acto de Matar, de Joshua Oppenheimer | 8,42
  2.  A Imagem Que Falta, de Rithy Panh | 8,33
  3.  Grand Budapest Hotel, de Wes Anderson | 8,13
  4.  Prince Avalanche, de David Gordon Green | 7,70
  5.  Gloria, de Sebastián Lelio | 7,63
  6.  A Dois Passos do Estrelato, de Morgan Neville | 7,20
  7.  Jovem e Bela, de François Ozon | 7,09
  8.  O Que a Maisie Sabe, de Scott McGehee e David Siegel | 6,00
  9.  O Fantástico Homem-Aranha 2, de Marc Webb | 5,56
10.  Divergente, de Neil Burger | 5,40
10.  Noé, de Darren Aronofsky | 5,40
12.  3 Dias para Matar, de McG | 5,00
13.  Pecado Fatal, de Luís Diogo | 4,60

Filmes inelegíveis ou abaixo da amostragem dos 20%
 Borgman: O Mal-Intencionado, de Alex van Warmerdam | 8,00
 O Atentado, de Ziad Doueiri | 7,67
 Tropicália, de Marcelo Machado | 7,67
 Em Segredo, de Charlie Stratton | 7,50
 Laços de Sangue, de Guillaume Canet | 7,00
 Supercondríaco, de Dany Boon | 6,00
 Rio 2, de Carlos Saldanha | 5,33
 Dentes de Leão, de Carine Tardieu | 5,00
 Tarzan, de Reinhard Klooss | 4,00
 Não Há Duas Sem Três, de Nick Cassavetes | 3,50
 Sei Lá, de Joaquim Leitão | 2,00
 Os Inquilinos, de Sergio Bianchi | -
 100% Cachemira, de Valérie Lemercier | -
 Sabotagem, de David Ayer | -
 Diplomacia, de Volker Schlöndorff | -
 Por Aqueles em Perigo, de Paul Wright | -

Filme mais popular (maior amostragem)
 Grand Budapest Hotel, de Wes Anderson (79%)

Filme mais controverso (maior diferença entre a nota máxima e a nota mínima)
 Pecado Fatal, de Luís Diogo (7 pontos)

Pior filme (menor classificação em filmes com amostragem superior a 20%)
 Pecado Fatal, de Luís Diogo | 4,60

Filme com a maior nota individual (filmes com amostragem superior a 20%)
 O Acto de Matar, de Joshua Oppenheimer (Nota 10: duas ocorrências)
 A Imagem Que Falta, de Rithy Panh (Nota 10: uma ocorrência)
 Grand Budapest Hotel, de Wes Anderson (Nota 10: uma ocorrência)
 Prince Avalanche, de David Gordon Green (Nota 10: uma ocorrência)

Filme com a menor nota individual (filmes com amostragem superior a 20%)
 Pecado Fatal, de Luís Diogo (Nota 1: uma ocorrência)

Top de 2014


(Posição actual [Posição anterior])

  1. [=]  12 Anos Escravo, de Steve McQueen | 8,72
  2. [=]  Uma História de Amor, de Spike Jonze | 8,56
  3. [=]   O Congresso, de Ari Folman | 8,55
  4. [=]  Nebraska, de Alexander Payne | 8,44
  5. [-]  O Acto de Matar, de Joshua Oppenheimer | 8,42
  6. [-]  A Imagem Que Falta, de Rithy Panh | 8,33
  7. [5]  A Grande Beleza, de Paolo Sorrentino | 8,14
  8. [-]  Grand Budapest Hotel, de Wes Anderson | 8,13
  9. [6]  O Lobo de Wall Street, de Martin Scorsese | 8,00
10. [7]  Ciclo Interrompido, de Felix Van Groeningen | 7,91

Sem comentários:

Publicar um comentário